Category Archives: Educação

Educação cada vez pior no Brasil

Tão importante quanto decidir estudar é escolher o local onde vai fazer isso.educação

E com o crescimento do Brasil a necessidade de educação aumentou a um ritmo galopante. Nunca no Brasil houve tanta oferta de cursos, faculdades, escolas profissionalizantes e técnicas e todas elas com as aulas cheias de gente. Isso mostra a necessidade, que não é de hoje, do brasileiro em evoluir e se desenvolver.

Só que com a necessidade do Brasil em desenvolver a sua força de trabalho, abriu-se ainda mais as portas para muitas instituições de ensino fracas, mal qualificadas, sem estrutura e que tem como único objetivo de aproveitar a onda que se formou pela necessidade de cursos, sem o compromisso de ajudar os alunos a se transformarem em profissionais melhores. Até mesmo instituições que estão a muito tempo no mercado, vem perdendo qualidade.

O principal motivo para isso ter acontecido foi a falta de controle do governo, que não soube criar regras e definir parâmetros mínimos que obrigassem as instituições a pensar na sua grade de ensino antes de abrir um curso. Esses parâmetros mínimos deveriam ser obrigatórios para todas as instituições com o objetivo de atestar com uma qualidade mínima o ensino que prestariam. Sem isso, fica difícil atribuir educação de qualidade a sociedade, fazendo com que as pessoas apenas tirem cursos, sem conseguir guardar o conhecimento.

E por isso é muito importante que todos os que estão procurando estudar e tirar um curso, tenham em consideração o local onde querem fazer isso. Antes de escolher o local onde quer se desenvolver, faça um pequeno trabalho de casa para ajudar a tirar algumas conclusões:

– Procure mais de uma opção para o curso que procura
– Analise a programação de cada curso e ligue para a instituição para tirar dúvidas
– Veja quem são os professores e o que eles já fizeram que deem garantia para ensinar a matéria em que eles estão ligados
– Fale com pessoas que conhece e que já fizeram o curso que pretende fazer, ou algum outro curso nessa instituição
– Pesquise o que andam falando em blogs e na internet sobre as instituições onde tem o curso que pretende fazer.
– Procure por instituições que ajudem você a entrar no mercado de trabalho. Essa é uma boa maneira que elas tem em mostrar que estão preocupadas com o futuro dos seus alunos.

Não deixe de fazer nenhum dos pontos acima. A educação é a base do crescimento de qualquer profissional e é com ela que conseguimos fazer um melhor trabalho e nos distinguir dos profissionais menos qualificados.

Não basta ter um diploma na mão que diz que sabemos fazer. O bom profissional precisa mesmo mostrar que sabe. Só assim vai conseguir ter melhores empregos, mais trabalho e mais dinheiro.

Por isso, invista tempo para escolher e melhor instituição para estudar. E se precisarem de uma ajuda para isso, podem contar comigo.

Conhecimento em Autogestão

Peter F. Drucker, ao final de sua carreira, sinalizou a próxima fronteira: a autogestão. Com o crescimento da longevidade individual e a queda na segurança do emprego, argumentou, as pessoas precisam pensar seriamente sobre onde os seus pontos fortes se situam, com o quê podem contribuir e como podem melhorar o próprio desempenho. “A necessidade de gerenciar a si mesmo é fazer uma revolução nas relações humanas”.

O que Drucker e Jobs têm em comum? Ambos falam da autogestão para a excelência na busca do conhecimento. E que cabe a cada um decidir o caminho que irá seguir. A escolha deste caminho não pode acontecer de maneira aleatória, devemos conhecer nos nossos pontos fortes e entender que os pontos irão se conectar.

Falamos de motivação intrínseca, onde as atividades que realizamos nos nossos dias nos estimulam a procurar por conhecimento. Que a busca pela excelência deve ser baseada a partir da definição de um propósito e busca pela excelência e da alegria de vencer o desafio de determinado problema se torna o principal combustível para o nosso século.

Temos que criar a nossa trilha do conhecimento. Essa trilha deverá conter o lugar que devemos chegar e quais os pontos de conhecimento que deveremos ter durante esse caminho.

A trilha de conhecimento consiste em conjuntos integrados e sistemáticos de ações de desenvolvimento que recorrem a múltiplas formas de aprendizagem, visando à aquisição e ao desenvolvimento de competências – conhecimentos, habilidades e atitudes – requeridas para o desempenho profissional.

As trilhas de aprendizagem são construídas a partir dos conhecimentos, habilidades e atitudes que compõem as competências essenciais, genéricas, por espaço ocupacional e gerencial como norteadores dos percursos para chegarmos ao nosso destino. Com isso, seremos orientados a pesquisar, além das tradicionais modalidades de aprendizagem, como cursos presenciais e a distância, todas as possibilidades existentes de estudo, como leituras, filmes, artigos, livros, etc., demonstrando assim a multiplicidade de formas de adquirir uma determinada competência.

Vamos desenvolver a nossa trilha? Quais conhecimentos, Habilidades e Atitudes que vocês precisam?

Vamos lá!

Estudo e motivação

Como diz Daniel Pink, autor do livro Motivação 3.0

A abordagem motivacional 3.0 possui três elementos essenciais:

Autonomia – O desejo de dirigir nossa própria vida

Excelência – A premência de se tornar cada vez melhor em algo relevante

Propósito – O anseio de fazer o que fazemos em nome de algo superior para nós

Lembrando que Cenouras e chicotes não são tão ruins assim. Geralmente funciona para atividades rotineiras, baseadas num modelo pelo fato de já não existir motivação intrínseca para ser minada e pouca criatividade para ser destruída. A atividade em si não necessita de criatividade pois, é uma atividade “mecânica”. Mas para isso, as pessoas que exigem produtividade estabeleçam uma logica para a realização da tarefa, reconheçam que ela é entediante e que devem dar autonomia para as pessoas a realizarem.

Voltando aos três elementos essenciais:

Autonomia – As pessoas precisam de autonomia sobre a tarefa (aquilo que fazem), o tempo (quando fazem) e a técnica (como a fazem).

Excelência – Somente o empenho pode produzir excelência, tornar-se melhor em algo relevante. A excelência começa com experiências ideais quando os desafios que enfrentamos combinam perfeitamente com as nossas capacidades.

Propósito – “Uma causa maior e mais douradora do que eles mesmos”.

Quando nos deparamos com as nossas experiências educacionais, escolhemos o que estudamos em função do que desejamos para o nosso negócio ou para nossa vida. Mas como é a nossa escolha? Qual o proposito para o que estamos estudando? O que temos que fazer para a excelência seja parte do nosso dia a dia?

A ideia é que a partir desses elementos sigamos uma lógica para o nosso aprendizado, uma logica única e agressiva que faça com que tenha a busca pela excelência seja sempre baseada a partir do aumento das expectativas. Defina um propósito, faça as suas escolhas e busque a excelência.

O que motiva você?

Motivação – parte 1

Após entendermos o nosso modelo de aprendizado é hora de se perguntar o que nos Motiva?

Em 1995 um aluno e um professor PHD em Economia do curso de Administração conversavam sobre duas novas enciclopédias. E o aluno perguntou ao professor: Quero que você descreva dois modelos de enciclopédia – uma recém lançada e uma que será lançada em breve, você deverá prever qual das duas será mais bem-sucedida em 2010.

A primeira vem da Microsoft, ela irá financiar essa enciclopédia e remunerara os escritores profissionais e editores para escrever artigos sobre milhares de assuntos. Será entregue no prazo e dentro do orçamento. Em seguida será vendida em CD-ROM e depois disponibilizada na internet para assinantes.

A segunda, não virá de uma empresa. Será criada por dezenas de milhares de pessoas que escrevem e editam artigos por diversão. E ninguém receberá um centavo por isso! Ela será online e também será gratuita.

Então, o aluno pergunta: Qual dessas enciclopédias será a maior e mais popular e qual será extinta? Em 1995 duvido que um único economista não tivesse apostado no primeiro modelo. Dia 31/10/2009, a Microsoft desativou o MSN Encarta e, ao mesmo tempo, a Wikipédia se tornou a maior e mais popular enciclopédia do mundo.

As sociedades são como sistemas operacionais. Nos primeiríssimos dias da nossa existência (mais ou menos 50 mil anos atrás) estávamos tentando sobreviver, esse seria o fator motivacional 1.0. Nada que nos diferenciasse do macaco, entretanto nos serviu muito bem até que deixou de funcionar.

À medida que os humanos foram formando sociedades mais complexas com a necessidade de cooperar para obter as coisas, o sistema operacional baseado exclusivamente no impulso biológico mostrou-se inadequado. O ser humano tinha um novo impulso: Buscar por recompensas e evitar punições. Aí nasceu o fator motivacional 2.0. Caso os trabalhadores fizessem o trabalho certo da forma certa e no momento certo, a maquina funcionaria normalmente e, para assegurar isso, bastaria recompensar o comportamento desejado e punir o indesejado. O adestramento deste segundo modelo tem sido fundamental para o progresso econômico mundial durante os dois últimos séculos.

Apesar da sofisticação e de aspirações elevadas este tipo de motivação não era exatamente dignificante. Sugeria afinal que os seres humanos não diferem muito dos cavalos – Para correr, coloca-se uma cenoura ou usa-se um chicote pesado.

No entanto, nos 10 primeiros anos do século atual, as economias ficaram mais complexas, com verdadeira precariedade nos negócios, no progresso social e por isso seus integrantes tiveram que acionar habilidades mais sofisticadas, onde este modelo motivacional 2.0 começou a enguiçar. Isso acontece com frequência e de forma imprevisível.

Como na história contada no inicio, entre o confronto da Wikipédia e a Microsoft, as novas leis da física comportamental vieram desafiar o modelo 2.0. O modelo desenvolvido por voluntários e totalmente grátis representa o mais novo e poderoso modelo de negócio do séc XXI: O software livre. Wikipédia, Mozila Firefox, Linux, Apache.

Este modelo trabalha com a satisfação produzida pela motivação intrínseca, a saber, o grau de criatividade vivenciado por alguém ao trabalhar num projeto, é o estimulante mais forte e penetrante. A alegria de vencer o desafio determinado torna o problema seu principal combustível para o nosso século.

Daí surge o modelo 3.0 – A motivação é criada pela atividade por si só. O que fazemos nos motiva.

Por isso muitos de nós abrimos os nossos negócios, porque queremos desafios para vencer.

Qual é o seu modelo motivacional? O que te leva para frente? Como faz para motivacionar os seus funcionários?

Vamos continuar falando de motivação em mais duas publicações….

Há braços!

Modelo de Aprendizagem para Adultos

No inicio, conversaremos sobre auto conhecimento, e para se auto conhecer precisamos conhecer como aprendemos.

E como estamos falando de Educação, não sei se todos sabem, mas o modelo de aprendizado que conhecemos quando estudamos na escola ou na faculdade não vale muito nos dias de hoje.

O aprendizado está divido em:

Os princípios de Aprendizagem do Adulto:

Necessidade de saber: O adulto necessita de saber o porquê precisa aprender, como, para que e qual o ganho

Autonomia: O adulto deve ter oportunidade no processo educativo de tomar suas próprias decisões (auto-adminstrar-se

Experiência: O adulto possui experiência acumulada que deve ser a base para o aprendizado de novos conceitos e habilidades.

Aplicação de Aprendizagem: A aprendizagem deve deixar de ser centrada no conteúdo para ser centrada no problema

Disposição para a Aprendizagem: O adulto estará mais disposto a aprender coisas que necessita para atingir resultados relevantes em situações reais de seu dia-a-dia

Motivação para aprender: Fatores internos geram motivação muito mais intensa. Devem ser levados em conta programas que auxiliem no desenvolvimento de uma maior auto-estima, satisfação do trabalho e/ou qualidade de vida.

MODELO DE APRENDIZADO PARA ADULTOS:

Prática – Teoria – Prática Transformadora

Como iremos focar no aprendizado utilizando este novo modelo? Como nos colocaremos neste parâmetro novo?

Ao longo destas semanas continuaremos este caminho…

Por que Educação

Quando me convidaram para escrever sobre educação, como este é nosso primeiro contato, pensei em trazer uma pessoa que todos respeitam e tenho como grande personalidade dos novos tempos. Apesar dele não estar mais entre nós, sua revolução, suas ideias e seus pensamentos ficarão para sempre com nossa geração.

Neste discurso, Steve conta três histórias, mas iremos nos focar em uma delas: a de ligar os pontos. Quando ele decidiu não continuar os estudos na faculdade. Ele se jogou de corpo e alma em um plano que ele sabia que ia dar certo no final. Como? Qual? Ele também não sabia.

Ilustrando essa história, a faculdade que ele largou, mas não deixou de frequentar, oferecia a melhor caligrafia do país. Onde todo material gráfico apresentava uma bela caligrafia manual, o que o fascinou. E por ele ter saído e não ter que assistir as aulas normais , decidiu a fazer as aulas de caligrafia para aprender a fazer aquilo.

Palavras dele: “A tipografia ensinada era linda, histórica, artisticamente sutil de uma maneira que a ciência não pode capturar e eu acho isso fascinante. Nada disso tinha sequer um lampejo de aplicação pratica na minha vida.”

Dez anos depois na criação do primeiro Mac (Na época com o nome de Macintosh), todo esse aprendizado voltou para ele e ele colocou 110% em prática. Foi o primeiro computador com uma tipografia bonita. Se ele não tivesse entrado naquele simples curso da faculdade, o Mac nunca teria a maravilhosa tipografia e agradável leitura. Como o Windows copiou o Mac, provavelmente nenhum computador pessoal teria este modelo de telas que conhecemos hoje, consequentemente ipods, ipads e iphones.

Ele confiou que os pontos irão, de algum jeito, se conectar no futuro. Isso nos remete ao texto de empreendedorismo…

O fato de ele ter saído da faculdade não quis dizer que ele parou de estudar, e sim que procurou dar um foco maior a coisas que o fascinavam. Esse fascínio o fez criar um modelo de aprendizado individual, focado no conhecimento que agregava valor a sua vida e ao seu negócio.

No Brasil a maioria dos empreendedores e empresários, estão em busca de um sonho, um desejo… E muitas vezes deixam de lado a sua educação. A educação em um sentido amplo, essa educação que pode ser traduzida em aprendizado do dono e repasse para seus empregados. Hoje no Rio de Janeiro, onde moro, a qualidade de atendimento dos prestadores de serviço (e de seus funcionários) é muito precária, sinal da falta de investimento nesta educação.

Ao longo do ano, conversaremos sobre a educação por diversas vertentes, desde conhecimento até relação entre pessoas ( o “ser educado”) e como isso pode e irá agregar valor aos negócios.

Obrigado pela companhia e vamos lá!

Quem quiser ver o vídeo na integra: http://www.youtube.com/watch?v=66f2yP7ehDs